terça-feira, 26 de julho de 2011

1º ANO - O TESTE DA CHAMA: UM ACHADO DE BOHR

O teste de chama ou prova da chama é um procedimento utilizado em Química para detectar a presença de alguns íons metálicos, baseado no espectro de emissão característico para cada elemento.

Esse teste está baseado no fato de que quando uma certa quantidade de energia é fornecida a um determinado elemento químico (no caso da chama, energia em forma de calor), alguns elétrons da última camada de valência absorvem esta energia passando para um nível de energia mais elevado, produzindo o que chamamos de estado excitado. Quando um desses elétrons excitados retorna ao estado fundamental, ele libera a energia recebida anteriormente em forma de radiação. Cada elemento libera a radiação em um comprimento de onda característico, pois a quantidade de energia necessária para excitar um elétron é única para cada elemento. A radiação liberada por alguns elementos possui comprimento de onda na faixa do espectro visível, ou seja, o olho humano é capaz de enxergá-las através de cores. Assim, é possível identificar a presença de certos elementos devido à cor característica que eles emitem quando aquecidos numa chama.

A temperatura da chama do bico de Bünsen é suficiente para excitar uma quantidade de elétrons de certos elementos que emitem luz ao retornarem ao estado fundamental de cor e intensidade, que podem ser detectados com considerável certeza e sensibilidade através da observação visual da chama.

O teste de chama é rápido e fácil de ser feito, e não requer nenhum equipamento que não seja encontrado normalmente num laboratório de química. Porém, a quantidade de elementos detectáveis é pequena e existe uma dificuldade em detectar concentrações baixas de alguns elementos, enquanto que outros elementos produzem cores muito fortes que tendem a mascarar sinais mais fracos.

Sabendo disso, qual a utilidade do teste da chama em um laboratório de pesquisa?

15 comentários:

  1. O teste de chama ou prova da chama é um procedimento utilizado em Química para detectar a presença de alguns íons metálicos, baseado no espectro de emissão caracteristicas de cada elemento. =D

    ResponderExcluir
  2. O teste de chama é um processo utilizado na Química para mostrar a presença de alguns íons metálicos, baseado no espectro de emissão característico para cada elemento.
    O teste é feito quando um elemento químico é aproximado da chama de fogo, e cada elemento tem sua cor característica.


    Isabela Lorencini 1° ano EM.

    ResponderExcluir
  3. Através do teste da chama podemos descobrir a presença de certo(s) elemento(s) nos componentes que forem analisados. Quando são aquecidos os elétrons recebem energia e quando voltam para seu estado fundamental a energia é liberada e podemos ver a cor emitida pela reação.
    É sempre bom lembrar que cada elemento químico libera uma radiação diferente dos outros, por isso cada um tem sua cor específica.

    ResponderExcluir
  4. Mostrar aos alunos que ha presença de alguns íons metálicos,característico para cada elemento, que faz com que haja uma mudança de coloração.

    ResponderExcluir
  5. O teste de chama ou prova da chama é um procedimento utilizado em Química para detectar a presença de alguns íons metálicos, baseado no espectro de emissão característico para cada elemento.

    O teste de chama é baseado no fato de que quando uma certa quantidade de energia é fornecida a um determinado elemento químico (no caso da chama, energia em forma de calor), alguns elétrons da última camada de valência absorvem esta energia passando para um nível de energia mais elevado, produzindo o que chamamos de estado excitado. Quando um desses elétrons excitados retorna ao estado fundamental, ele libera a energia recebida anteriormente em forma de radiação. Cada elemento libera a radiação em um comprimento de onda característico, pois a quantidade de energia necessária para excitar um elétron é única para cada elemento. A radiação liberada por alguns elementos possui comprimento de onda na faixa do espectro visível, ou seja, o olho humano é capaz de enxergá-las através de cores. Assim, é possível identificar a presença de certos elementos devido à cor característica que eles emitem quando aquecidos numa chama.
    A temperatura da chama do bico de Bünsen é suficiente para excitar uma quantidade de elétrons de certos elementos que emitem luz ao retornarem ao estado fundamental de cor e intensidade, que podem ser detectados com considerável certeza e sensibilidade através da observação visual da chama.
    O teste de chama é rápido e fácil de ser feito, e não requer nenhum equipamento que não seja encontrado normalmente num laboratório de química. Porém, a quantidade de elementos detectáveis é pequena e existe uma dificuldade em detectar concentrações baixas de alguns elementos, enquanto que outros elementos produzem cores muito fortes que tendem a mascarar sinais mais fracos

    ResponderExcluir
  6. O teste analítico qualitativo de espectrofotometria de chama é um procedimento utilizado em Química para detectar a presença de íons metálicos, baseado no espectro de emissão característico para cada elemento. O teste envolve a introdução da amostra em uma chama e a observação da cor resultante
    O teste de chama apenas fornece informação qualitativa, baseado no fato de que quando certa quantidade de energia é fornecida a um determinado elemento químico alguns elétrons da camada de valência absorvem esta energia passando para um nível de energia mais elevado, produzindo o que chamamos de estado excitado. Quando um desses elétrons excitados retorna ao estado fundamental, ele libera a energia recebida anteriormente em forma de radiação.
    Devido à cor característica que eles emitem quando aquecidos numa chama é possível identificar a presença de certos elementos. Cada elemento libera a radiação em um comprimento de onda característico emitindo luzes quando retornam ao seu estado fundamental de cor e intensidade, que podem ser detectados com considerável certeza e sensibilidade através da observação visual da chama, pois a quantidade de energia necessária para excitar um elétron é única para cada elemento.
    O Bico de Bunsen é empregado em laboratório como fonte de calor para diversos procedimentos, o combustível normalmente é o gás liquefeito do petróleo e o comburente é o oxigênio do ar atmosférico que em proporção adequada permite obter uma chama de alto poder energético. Este equipamento possui uma chama suficiente para excitar uma quantidade de elétrons. A radiação liberada por alguns elementos possui comprimento de onda na faixa do espectro visível, ou seja, o olho humano é capaz de enxergá-las através de cores. Porém, a quantidade de elementos detectáveis é pequena e existe uma dificuldade em detectar concentrações baixas de alguns elementos, enquanto que outros elementos produzem cores muito fortes que tendem a mascarar sinais mais fracos.

    ResponderExcluir
  7. O teste de chama é baseado no fato de que quando uma certa quantidade de energia é fornecida a um determinado elemento químico, alguns elétrons da última camada de valência absorvem esta energia passando para um nível de energia mais elevado, produzindo o que chamamos de estado excitado. Quando um desses elétrons excitados retorna ao estado fundamental, ele libera a energia recebida anteriormente em forma de radiação. A radiação liberada por alguns elementos possui comprimento de onda na faixa que o olho humano é capaz de enxergá-las através de cores. Assim, é possível identificar a presença de certos elementos devido à cor característica que eles emitem quando aquecidos numa chama.

    ResponderExcluir
  8. A importância desse experimento é que podemos ver se o elemento é um sal, pois cada um tem uma cor específica no fogo.

    ResponderExcluir
  9. O teste envolve o contato da amostra de um elemento em uma chama e a observação da cor resultante. As amostras em sua maioria são manuseadas com um fio de platina limpo com ácido clorídrico para retirar resíduos e, então, não haver erro na reação. Serve também para detectar determinados elementos, pois cada qual possui características próprias mediante este teste.
    As mudanças que ocorrem devem-se a elevação da energia do elemento químico, excitando-o assim. Com isso os elétrons da última camada passam para um nível de energia e, ao fazer isso, com que faz com que radições eletromagnéticas sejam liberadas, sendo visivéis aos olhos.

    ResponderExcluir
  10. Uma grande qualidade disso nos laboratórios e de poder saber qual o numero de íons em alguns objetos e ver a reação química que aconteceria, e se teria muita ou pouca energia no objeto.

    Gostei muito pois alem de aprender foi muito legal

    ResponderExcluir
  11. Esse experimento serve para vermos se o elemento colocado no fogo é um sal, pois cada um tem sua cor específica.

    ResponderExcluir
  12. O teste da chama têm por base, o aquecimento de uma amostra sólida. Esta técnica é muito utilizada para identificar o íon positivo existente num sal puro. Os iões negativos presentes, em geral, não interferem nesta análise.
    Quando os sais são aquecidos, os electrões dos átomos podem ser excitados, ocorrendo então uma absorção de energia. Os electrões regressam depois ao estado fundamental, com a consequente libertação
    dessa energia sob a forma de uma chama colorida. Alguns elementos emitem radiação na região visível sendo possível, em alguns casos, identificar a
    presença desses elementos através da coloração da chama.

    ResponderExcluir
  13. Ele seria utilizado apenas para passar informações sobre a proporção dos elementos na amostra,e etc..

    ResponderExcluir
  14. Heitor Vasconcelos26 de agosto de 2011 19:32

    O teste de chama ou prova da chama é um procedimento utilizado em Química para detectar a presença de alguns íons metálicos, baseado no espectro de emissão característico para cada elemento.
    O teste envolve a introdução da amostra em uma chama e a observação da cor resultante. As amostras geralmente são manuzeadas com um fio de platina previamente limpo com ácido clorídrico para retirar resíduos de analitos anteriores.
    O teste de chama é baseado no fato de que quando uma certa quantidade de energia é fornecida a um determinado elemento químico (no caso da chama, energia em forma de calor), alguns elétrons da última camada de valência absorvem esta energia passando para um nível de energia mais elevado, produzindo o que chamamos de estado excitado. Quando um desses elétrons excitados retorna ao estado fundamental, ele libera a energia recebida anteriormente em forma de radiação. Cada elemento libera a radiação em um comprimento de onda característico, pois a quantidade de energia necessária para excitar um elétron é única para cada elemento. A radiação liberada por alguns elementos possui comprimento de onda na faixa do espectrovisível, ou seja, o olho humano é capaz de enxergá-las através de cores. Assim, é possível identificar a presença de certos elementos devido à cor característica que eles emitem quando aquecidos numa chama.
    A temperatura da chama do bico de Bünsen é suficiente para excitar uma quantidade de elétrons de certos elementos que emitem luz ao retornarem ao estado fundamental de cor e intensidade, que podem ser detectados com considerável certeza e sensibilidade através da observação visual da chama.
    O teste de chama é rápido e fácil de ser feito, e não requer nenhum equipamento que não seja encontrado normalmente num laboratório de química. Porém, a quantidade de elementos detectáveis é pequena e existe uma dificuldade em detectar concentrações baixas de alguns elementos, enquanto que outros elementos produzem cores muito fortes que tendem a mascarar sinais mais fracos.
    O sódio, que é um componente ou contaminante comum em muitos compostos, produz uma cor amarela intensa no teste de chama que tende a dominar sobre as outras cores. Por isso, a cor da chama geralmente é observada através de um vidro de cobalto azul para filtrar o amarelo produzido pelo sódio e permitir a visualização de cores produzidas por outros íons metálicos.
    O teste de chama apenas fornece informação qualitativa. Dados quantitativos, sobre a proporção dos elementos na amostra, podem ser obtidos por técnicas relacionadas a fotometria de chama ou espectroscopia de emissão.

    ResponderExcluir
  15. João Victor Saúde Ferraz29 de agosto de 2011 12:24

    O teste mostra que cada elemento tem uma reação diferente em contato como o fogo causando uma coloração diferente na chama!

    ResponderExcluir