segunda-feira, 17 de outubro de 2011

3º ANO - A QUIMICA DO MAU CHEIRO

Trabalhar com o sistema olfativo é uma experiência não muito executado, pois na maioria das vezes damos mais valores aos efeitos visuais do que aos olfativos. O que não é verdade, cada sentido tem a sua importância na nossa comunicação com o mundo exterior no que diz respeito a sensações, emoções e até mesmo nos livrando de alguns perigos.

Uma das principais classes de substâncias responsáveis pela a interação com os receptores olfativos são as moléculas orgânicas da classe dos ácidos carboxílicos que possuem cheiro intenso, irritante e paladar azedo ou salgado e que às vezes causam náuseas e incomodo. Os ácidos de quatro a oito átomos de carbono têm odores desagradáveis.

O que causa esse cheiro ou odor ruim e qual a composição dessas substâncias?

Essas substâncias possuem funções orgâ­nicas distintas, que tem uma maior sensibilização olfativa, como, tióis, éteres, ésteres, compostos aromáticos nitrogenados, mercaptanas, indóis, ácidos inorgânicos, aldeídos, cetonas e compostos orgânicos enxofre. Tais substâncias possuem certa solubilidade em água e, dessa forma, são facilmente dissolvidas no muco do tecido epitelial para que esteja em uma concentração relevante para ser detectada e identificada pelos quimiorreceptores. 

 As substâncias responsáveis pela liberação de odores para a atmosfera são geralmente gases inorgânicos ou compostos orgânicos voláteis, sendo os primeiros resultado da atividade biológica nos esgotos e fontes correlatas e os segundos derivados da presença de resíduos ou produtos industriais.

Estes compostos são originários da decomposição anaeróbia de compostos com alto peso molecular, especialmente proteínas, reconhecidas como causas do mau-cheiro do esgoto e de estações de tratamento em geral. Entre os compostos inorgânicos, a amônia (NH4) e sulfeto de hidrogênio (H2S), são considerados as principais causas do odor de esgotos domésticos.
Além de substâncias que não cheiram bem presentes na atmosfera, temos também algumas produzidas pelo nosso corpo.

·         O chulé – ou bromidrose – é causado pela proliferação de bactérias que se alimentam de pedaços de pele em nossos pés e também do suor acumulado, já que elas gostam de ambientes quentes e úmidos. Depois de se alimentarem, liberam o ácido valérico (Quadro 1), que dá aquele cheirinho que conhecemos. Para evitar o chulé, basta lavar bem os pés, secá-los adequadamente, sempre variar um pouco os sapatos, além de selecionar meias de algodão, que permitem maior ventilação, reduzindo a ação das bactérias.

·         O famoso cecê é formado nas axilas onde o cheiro é mais intenso e diferente de outras partes do corpo porque as glândulas sudoríparas desse local secretam um suor mais espesso, que contém proteínas e outras substâncias que são produzidas por bactérias, gerando os compostos malcheirosos.
·         O bafo de onça, também conhecida como halitose, se originam na boca, um ecossistema no qual vivem centenas de espécies de bactérias com diferentes necessidades nutricionais. Quando essa flora digere proteínas, podem ser liberadas substâncias que têm mau cheiro. Entre  elas: gás sulfídrico, resultante do metabolismo anaeróbico (cheiro de ovo estragado), escatol (substância também encontrada nas fezes), cadaverina (associada à decomposição de corpos), putrescina NH2(CH2)4NH2 (1,4- diaminobutano ou butanodiamina) (à decomposição de carne) e ácido isovalérico, também presente no suor dos pés.

·         O sêmem também não cheira bem, ele tem glicose e lactose, além de espermina, putrescina e cadaverina, substâncias que lhe conferem um odor repugnante.
·         O odor dos flatos provêm de pequenas quantidades de sulfeto de hidrogênio (gás sulfídrico) e enxofre e os mercaptanos livres na mistura. Quanto mais rica em enxofre for a dieta, mais desses gases vão ser produzidos pelas bactérias no intestino, fazendo portanto com que os gases cheirem mal ainda mais. O odor desagradável, porém, deriva de compostos do enxofre, como o gás sulfídrico.


Em geral a interpretação fisiológica de um odor implica em julgar o quão forte, agradável ou desagradável ele é. Odores desagradáveis estão associados a coisas desagra­dáveis. Embora um odor possa ser ou não tóxico, sua associação à decomposição biológica pode indicar algo? O que poderia indicar?

Retire do texto as principais características químicas que uma substância precisa ter para rapidamente percebida pelo nosso olfato.


1.    SILVA, V. A. et al. Algo aqui não cheira bem... a química do mau cheiro. Química nova na Escola, 33(1), 3-9, 2011. Disponível em: <http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc33_1/01-QS9309.pdf> acesso em: 18. Ago. 2011.
2.    Disponível em: <http://mundoestranho.abril.com.br/materia/por-que-as-secrecoes-do-corpo-tem-gostos-diferentes > acesso em: 20. Ago. 2011.
3.    Disponível em: < http://mundoestranho.abril.com.br/materia/quais-sao-e-para-que-servem-os-fluidos-e-as-secrecoes-do-corpo-humano > acesso em: 20. Ago. 2011.
4.    Disponível em: < http://cienciahoje.uol.com.br/alo-professor/intervalo/bom-fedor> acesso em: 20. Ago. 2011.
5.    Periodico Tche Quimica. Volume 4. N° 8 – Agosto/2007. Porto Alegre – RS. Brasil Disponível em: http://qnint.sbq.org.br/qni/visualizarTema.php?idTema =34>  acesso em: 20. Ago. 2011.
6.  Controle Odorres Oxidante. Disponível em: http://www.tratamentodear.com.br/ Controle-Odor-Oxidantes.html> acesso em: 28. Set. 2011.


6 comentários:

  1. As principais características químicas que uma substância tem para que ela seja rapidamente percebida pelo nosso olfato são, as funções que ela possui, elas possuem certa solubilidade em água o que ajuda para que ela seja facilmente dissolvida no muco e percebida pelo corpo, os gases inorganicos são os responsaveis pela liberação de odores para a atmosfera, grande quantidade de maus odores está relacionada a compostos alcalinos, isto é, com características de base, a massa molar da substancia também influencia na atribuição do mau cheiro que também tem relação com o ponto de fusão e de ebulição da substância assim como a volatilidade e a pressão de vapor também influenciam. A associação de um odor à decomposição biológica pode indicar problemas com o corpo, o mau cheiro também pode indicar situações de perigo. é ele que nos avisa da insalubridade ou da periculosidade dos ambientes, ele pode indicar por exemplo um vazamento de gás em um local, podemos afirmar, com certeza, que não ficaremos tentados a sair ou fugir de um lugar que tenha um cheiro agradável e inebriante. O mau cheiro pode identificar problemas no corpo como o câncer de pulmão que pode ser identificado com as mudanças que acontecem em compostos odoríferos secretados na urina, quando se tem esse tipo de doença, para identificar o problema pelo cheiro da urina, podem ser usado tanto animais treinados, como sofisticadas técnicas de laboratório.
    Thiago Cani

    ResponderExcluir
  2. O olfato está diretamente associado ao sistema límbico, que controla as respostas emocionais do indivíduo, os odores promovem reações instintivas muito fortes – normalmente respostas binárias, como sim ou não (atração ou repulsão). O olfato é menos desenvolvido nos humanos do que em outros animais, como os cães, que por isso são empregados na detecção de substâncias químicas proibidas em locais públicos e em meios de transporte.

    Guilherme Quaresma
    3º ano.

    ResponderExcluir
  3. "Uma das principais classes de substâncias responsáveis pela a interação com os receptores olfativos são as moléculas orgânicas da classe dos ácidos carboxílicos que possuem cheiro intenso, irritante e paladar azedo ou salgado e que às vezes causam náuseas e incomodo. Os ácidos de quatro a oito átomos de carbono têm odores desagradáveis."
    "Essas substâncias possuem funções orgâ­nicas distintas, que tem uma maior sensibilização olfativa, como, tióis, éteres, ésteres, compostos aromáticos nitrogenados, mercaptanas, indóis, ácidos inorgânicos, aldeídos, cetonas e compostos orgânicos enxofre. Tais substâncias possuem certa solubilidade em água e, dessa forma, são facilmente dissolvidas no muco do tecido epitelial para que esteja em uma concentração relevante para ser detectada e identificada pelos quimiorreceptores."
    O odor pode indicar diversas coisas, entre elas ele pode indicar que algum alimento, ou algum composto, sofreu alterações na sua composição, como uma fruta que apodreceu por exemplo. O olfato é um sentido vital nas nossas vidas, por isso merece toda dedicação nos estudos químicos que tem como objetivo compreende-los.

    ResponderExcluir
  4. Leonardo Simonetti Dutra30 de novembro de 2011 15:34

    A decomposição biológica pode indicar algo a se evitar ou um eventual risco à saúde. A presença de um mau odor em geral é um sinal para que se evite sua fonte.
    É por essa interpretação fisiológica que registramos com maior propriedade os cheiros que nos causam essas sensações desagradáveis. Algumas substâncias – como a piridina (cheiro de peixe podre), o metanotiol (cheiro do gás de cozinha), escatol (cheiro de fezes), entre outras – remetem-nos a situações que lembram perigo ou um ambiente não muito saudável. Essas são características psicoculturais que nos fazem agir de maneira repulsiva ao mau cheiro.


    De acordo com o texto podemos concluir que uma das principais classes de substâncias responsáveis pela a interação com os receptores olfativos são as moléculas orgânicas da classe dos ácidos carboxílicos que possuem cheiro intenso, irritante e paladar azedo ou salgado e que às vezes causam náuseas e incomodo. Os ácidos de quatro a oito átomos de carbono têm odores desagradáveis.

    ResponderExcluir
  5. João Francisco Torres Piski1 de dezembro de 2011 12:13

    Para que uma substância seja rapidamente percebida pelo nosso olfato , ela precisa ter características importantes e próprias , a mais importante dessas características são as funções orgânicas distintas nas substâncias que tem uma maior sensibilização olfativa, como, tióis, éteres, ésteres, compostos aromáticos nitrogenados, mercaptanas, indóis, ácidos inorgânicos, aldeídos, cetonas e compostos orgânicos enxofre. essas substâncias possuem certa solubilidade em água e, dessa forma, são facilmente dissolvidas no muco do tecido epitelial para que esteja em uma concentração relevante para ser detectada e identificada pelos quimiorreceptores. As principais substâncias que liberam odor são os compostos orgânicos voláteis e gases inorgânicos , que liberam odor para atmosféra , e os compostos produzidos pelo corpo humano , em ambos o odor está ligado a sua decomposição . No caso dos compostos orgânicos voláteis e gases inorgânicos acontece a decomposição anaeróbia de compostos com alto peso molecular, especialmente proteínas, reconhecidas como causas do mau-cheiro do esgoto e de estações de tratamento em geral . No caso dos compostos formados pelo nosso corpo o odor é causado na maioria das vezes por glândulas e bactérias presentes . O odor de substâncias químicas é muito importante para ajudar a identificar certo tipo de situação , como doenças e situações de perigo , na maioria das vezes se você sentir um odor que não é comum algo de errado pode estar acontecendo .

    João Francisco Torres Piski

    ResponderExcluir
  6. O processo de sentir cheiro e odores inicia-se com a sensibilização do sistema olfatório por substâncias odoríferas dispersas no ar atmosférico. Essas substâncias, que se encontram geralmente no estado gasoso, apresentam uma pressão de vapor considerável. Primeiro, a pressão de vapor corresponde à pressão desenvolvida entre o equilíbrio de um líquido e seu vapor em um recipiente hermeticamente fechado. Assim, em uma dada temperatura, um líquido com maior energia de coesão (isto é, um grande calor de vaporização molar Qvap) terá menor pressão de vapor que um líquido com uma pequena energia de coesão (Castellan, 2001).
    Dessa forma, podemos dizer que para as substâncias que apresentarem os maiores calores de vaporização molar terão uma maior força intermolecular entre as moléculas, o que explica a necessidade de as moléculas odoríficas apresentarem pressão de vapor considerável. Nesse caso, as substâncias que proporcionam certo odor apresentarão pressão de vapor alta, para que se encontre no estado gasoso, com baixa interação intermolecular.
    Segundo, a volatilidade das substâncias odoríferas é essencial para que o sistema olfativo seja sensibilizado, pois é necessário que tenhamos uma interação entre as substâncias odoríferas e as células receptoras. Essa interação é feita pela dissolução dessas substâncias nas camadas mucosas do sistema olfatório das cavidades nasais.

    ResponderExcluir